Origem do buquê de noiva e significado de algumas flores

Origem do buquê de noiva e significado de algumas flores

Origem do buquê de noiva (ou buquet de noiva, como preferir)? A história do buquê de noiva é muito incerta, e pouco pensada por muito. Mas, alguns fatos sobre o assunto não foram comprovados e existe muitas controvérsias sobre o tema. Porém, ao longo dos anos algumas dessas histórias sobre a tradição da noiva levar um buquê nas mãos até o altar ganharam força e ficaram entre as prediletas quando o assunto é o surgimento dessa “mania” bem doce de carregar o buquê nas mãos.

– Origem do buquê de noiva: história do bouquet de noiva
Umas das teorias da origem do buquê de noiva é a de que ele surgiu na Grécia Antiga. Segundo a história, as noivas teriam que oferecer flores como forma de honrar a deusa Hera, a noiva de Zeus. Porém, essa não é a única história que pode ter dado origem ao buquê de noiva.

Antigamente o buquê de noiva era chamado também de ramo de flores ou arranjo de flores e era usado pela noiva para seguir uma tradição em casamentos. Como já falamos, existem muitas versões para a real história do buquê de noiva, sendo que uma delas diz que na Grécia Antiga as mulheres que iam se casar faziam um ramo de ervas e colocavam alho nesse ornamento, como algo para atrair boas vibrações e afastar a inveja das rivais ou das solteira que ainda não conseguiram um marido. O tempo foi passando e os tais ramos de ervas foram substituídos por flores, e no final da cerimônia de casamento as noivas jogavam os seus buquês.
No período da Idade Média era de costume as noivas fazer o trajeto até a igreja a pé. Durante esse percurso elas recebiam ervas e temperos para dar sorte e felicidade, formando assim um buquê de noiva. São muitas as possibilidades para justificar a história do buquê de noiva, sendo que em cada cultura uma é predominante.
Bouquet é uma palavra de origem francesa, que traduzida para o português virou buquê. Fazia parte da tradição francesa a noiva caminhar pela vila em direção a igreja que ia se casar. Nesse percurso as pessoas iam dando flores para essa jovem ao longo do caminho, como um gesto que tinha com intenção levar sorte para essa noiva em sua nova vida. Depois de passar pela vila que morava a noiva estava com um belo buquê de flores nas mãos, e assim ela entrava na igreja com as flores em mãos.

Tradição que explica a origem do buquê de noiva pode ter dado a maio o título de mês das noivas
A origem do buquê de noiva no caso dessa tradição pode também ter creditado ao mês de maio o título de mês das noivas. Nos séculos XVI e XVII as pessoas costumavam tomar poucos banhos, e o primeiro desses banhos aconteciam somente no mês de maio, que era quando acontecia a Primavera no Hemisfério Norte

Por esse motivo, as noivas decidiam se casar em maio, já que estavam mais limpinhas e perfumadas. Dizem que nessa época as moças usavam o buquê de flores para disfarçar o cheiro ruim. Nenhuma dessas teorias são confirmadas, mas o fato é que até hoje as noivas usam buquês de flores.

Buquê de noiva se popularizou na Europa
A história do buquê de noiva também passa pela Europa, já que foi por lá que o buquê se popularizou. Foi nessa região do mundo que os arranjos começaram a conquistar uma certa sofisticação e as noivas passaram a optar por flores exóticas em seu buquê. Na época Vitoriana, no século XIX, era inapropriado falar abertamente o que se sentia e foi por isso que os buquê passaram a ser mais importantes, pois passou a ter nesse momento da história uma mensagem passada por meio das flores. A tal “linguagem das flores” passou a ser usada pelas mulheres que iam se casar como forma de mostrar o que sentiam.

– Significado das flores dos buquês de noiva
Faz parte da história dos buquês de noiva a linguagem das flores que já comentamos, por isso, entenda como as mulheres demonstravam os seus sentimentos por meio das flores que carregavam nas mãos durante o casamento. Confira a seguir o que cada flor quer dizer e como você pode incorporar isso no seu casamento:

Curiosidades sobre o buquê de noiva
Não tem como pensar na história dos buquês de noiva sem comentar sobra algumas tradições que rondam esse ornamento essencial para caracterizar uma noiva. Na antiga Polônia, por exemplo, algumas pessoas acreditavam que para mudar a personalidade da noiva e deixá-la mais doce bastava colocar um pouco de açúcar no buquê da noiva. Achavam que com isso eles conseguiriam deixar a noiva calminha e simpática durante toda cerimônia e festa de casamento.

Ao contrário do que acontece nos dias de hoje, as noivas antigamente gostavam de confeccionar os seus buquês. Sim, no plural mesmo, porque eram dois buquês: um para entrar na igreja e outro para jogar para as solteiras. O buquê que a noiva usava no casamento era abençoado por um sacerdote e preservado em uma redoma de vidro, para que fosse exposto na sala da casa ou no quarto, para que a noiva se lembrasse sempre do dia do casamento.

Porque as noivas jogam os buquês?
Acredita-se que as noivas jogam os seus buquês porque na França, no século XIV, a tradição de passar a sorte de ter se casado para as amigas solteiras cresceu e ganhou força. As noivas jogavam o buquê já naquela época para que as outras moças tivessem a mesma sorte de se casar.
Antes da tradição de jogar os buquês de flores para as solteiras começar, as moças que ainda não tinham se casado tinham o hábito de tirar pedaços da roupa das casadas para dar sorte ás solteiras.

FONTE: www.helpcasamentos.com